Novembro 1

Lutar contra a injustiça climática faz parte do Evangelho

O Bispo da Amazónia na América do Sul diz que as comunidades da sua região estão a sofrer os efeitos do abuso ambiental, uma vez que os seus territórios e casas são varridos pelo aumento da desflorestação e dos incêndios.

O Revd Marinez Bassotto é o Bispo da Diocese Anglicana da Amazónia, que faz parte da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil. A diocese abrange cinco estados da parte norte do Brasil dentro do território amazónico.

A Bispo Marinez explicou porque acredita que a Igreja tem o dever de se opor aos governos e empresas que ignoram o apelo para acabar com a desflorestação e outros abusos ambientais.

Ela disse que os efeitos das alterações climáticas e da degradação e devastação ecológica e ambiental tinham sido dramáticos. Segundo o Bispo, durante a pandemia o governo brasileiro utilizou a crise para aprovar leis e desregulamentação que levaram a um aumento do desflorestamento e dos campos queimados na região amazónica.

“A percentagem de território que foi devastada durante este período aumentou mais de 200 por cento, atingindo um recorde de 810 Km² de desflorestação na Amazónia nos últimos meses. Os incêndios também aumentaram dramaticamente”, disse o Bispo Marinez.

Segundo o bispo, as comunidades ribeirinhas nativas estavam a ser atacadas e os líderes coagidos. “Eles estão a sofrer imenso”, disse. “Verifica-se uma degradação ambiental e um ataque consecutivo às pessoas que vivem nessas regiões, que protegem o ambiente”.

“Nós, seres humanos, temos uma responsabilidade essencial de cuidar da criação. Para nós, cuidar das questões sócio-ambientais nesta região amazónica, que é ser uma Igreja”. E cuidar do ambiente é também ser uma Igreja, e cuidar das pessoas que vivem neste ambiente.

“Para nós aqui na região amazónica, os territórios são como extensões dos corpos dos povos nativos. Fazem parte da sua sacralidade. Assim, quando a criação é degradada, para os nossos povos, os seus corpos também são degradados. É um sofrimento com graves consequências para a espiritualidade das pessoas, com graves consequências para a vida como um todo, e prejudica e viola a integridade da criação de Deus”.

Poderia falar-nos das opiniões dos jovens sobre a crise climática e das suas expectativas em relação à Igreja?

“Vejo-os muito mais envolvidos e muito mais empenhados com esta preocupação do que as pessoas das gerações anteriores. No passado, as pessoas não se preocupavam com estes assuntos. Hoje em dia, vejo que os jovens na Igreja estão preocupados, e querem que a Igreja se envolva e seja activa em questões relacionadas com o ambiente”.

O Bispo Marinez disse que os jovens querem trabalhar em prol do ambiente com reflorestação e envolver-se em movimentos de defesa e advocacia para proteger o ambiente.

“É um jovem que quer uma Igreja que viva efectivamente pelo seu compromisso ecológico. Assim, na diocese anglicana da Amazónia, a nossa juventude tem sido a presença da Igreja na vida dos povos nativos, com alguns projectos muito especiais. Um destes projectos é sobre a identidade indígena, e é um projecto de formação com jovens e mulheres indígenas. A juventude da Igreja tem vindo a fazer um curso preparatório para a juventude indígena ir para a universidade”.

Ela disse que dar conhecimento e educação era uma forma de capacitar as comunidades indígenas. “Desde que tenham acesso à informação, também podem fazer ouvir as suas vozes”.

O Bispo disse que uma das expectativas dos seus jovens é que a Conferência de Lambeth coloque a justiça climática sobre a mesa, e especialmente o que está a acontecer na Amazónia.

“Todos os dias aprendo alguma coisa com as minhas filhas”. Todos os dias elas fazem-me ver o mundo de forma diferente. Por isso, a Igreja precisa de olhar e criar espaço para ouvir o que os jovens têm a dizer”.

A Diocese da Amazónia tem vindo a tomar medidas práticas para combater a desflorestação e fazer mudanças. O Bispo Marinez explicou: “Iniciamos um projecto no mês de Janeiro passado chamado Planting Lives. É um projecto ecuménico que visa distribuir mudas de árvores nativas da Amazónia para reflorestação, e sensibilizar os jovens e adultos para a justiça sócio-ambiental na nossa realidade amazónica”.

Ela disse que a distribuição de mudas constituía uma oportunidade para debater a situação amazónica e a necessidade de acções, para pressionar o governo com acções a favor dos povos das florestas. “Tem vindo a acontecer desde Janeiro. Já temos plântulas suficientes para realizar o primeiro acto público de plantação”.

Como podem os bispos da Comunhão Anglicana ajudar na luta pela justiça climática?

A união de forças para tomar uma posição sobre a justiça climática com os seus colegas bispos é vital, segundo o Bispo Marinez. Ela disse: “Precisamos de juntar as nossas vozes, e fazê-las ouvir em momentos oportunos, como a COP26, e outros eventos que possam acontecer.

“Outra coisa que acredito que podemos fazer é dar voz aos povos nativos. Creio que isto é algo que podemos trazer como uma contribuição específica à Comunhão Anglicana para a discussão global da justiça climática, que é dar voz aos povos indígenas de todo o mundo. E isso é algo que podemos fazer antes de Lambeth, na nossa viagem até lá e também depois de Lambeth”.

O Bispo Marinez disse que acredita que tomar uma posição contra a injustiça climática faz parte de ser discípulo de Cristo.

“Não levanto a minha voz contra as injustiças climáticas, contra as injustiças socio-ambientais, porque faz parte da minha ideologia”, disse ela. “Faço estas coisas por causa do Evangelho.

Eu luto pela justiça climática porque sou discípula de Cristo. Penso que o discipulado é o fundamento de todas as nossas acções na sociedade”.


Tags

BC-Nov21-article-POR


You may also like

Os Bispos discutirão Liderança e Ministério num Mundo Conflituoso como parte da jornada rumo à Conferência de Lambeth em 2022

Os Bispos discutirão Liderança e Ministério num Mundo Conflituoso como parte da jornada rumo à Conferência de Lambeth em 2022
{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}

Subscribe to our updates now

Enter your details below and we'll keep you in touch with the conference as well as sharing resources and news about the event.