Agosto 29

Como a reparação de bicicletas ensinou a um bispo sobre como ”fazer discípulos”.

Fazer discípulos deveria ser o foco principal para todos os cristãos, segundo o Bispo da Malásia Ocidental, que diz ter aprendido a ser um discípulo fabricante de bicicletas ao fixar bicicletas com o seu pai.

O Revd Moon Hing, é o 4º Bispo da Diocese da Malásia Ocidental, e o antigo Arcebispo do Sudeste Asiático. Tem estado envolvido na plantação de igrejas e no discipulado durante várias décadas e é agora o coordenador das iniciativas de discipulado anglicano para a Comunhão Anglicana.

Falou com a equipa da Conferência de Lambeth sobre o que o discipulado significa para ele e como é mais importante do que nunca viver a fé cristã, para que esta possa ser um exemplo a seguir por outros.

“Creio que o discipulado é o foco principal para todos os cristãos. E especialmente neste tempo de pandemia, e em tempos de luta, e no tempo de incerteza. A melhor forma é ir para o discipulado e fazer discípulos. Não há outro tempo melhor do que este”. Ele disse que o discipulado estava enraizado nele desde quando era muito jovem cristão, há mais de 40 anos.

Como é que aprendeu sobre discipulado?

“A palavra discípulos significa ‘um aprendiz’. O meu pai tinha uma pequena loja de reparação de bicicletas e lembro-me que quando eu tinha cerca de nove ou 10 anos de idade, o meu pai chamava os meus irmãos e eu saía, e dizia: ‘Agacha-te ao meu lado e vê como eu faço a montagem ou a reparação’. Lembro-me muito claramente como ele nos mostrava como reparar os raios, e depois rodava-os num balancim. Ele dizia: ‘Faz isto e faz aquilo, depois equilibrarás a roda’. Depois levantava-se e dizia: ‘É a sua vez’. Então, cada um de nós entrava, agachava-se e tentava… É assim que aprendemos e crescemos. Assim, finalmente, crescemos a aprender a reparar bicicletas. Isto é parte integrante do programa de discipulado que o meu pai fez connosco, e eu ainda posso ir em frente e reparar bicicletas!

“É assim que passamos a mensagem para baixo”. Por isso, levei isto para a igreja. Quando era padre, todos os anos tive estudantes de teologia durante dois meses de aprendizagem prática sob o meu comando. Sempre lhes disse: “Não é preciso aprender nada sobre a igreja. Se aprenderem alguma coisa sobre a igreja, isso é um bónus, mas aprendem observando como faço o meu ministério, como lido com a minha família, como lido com o meu tempo livre, como lido com o meu tempo de devoção, como lido com a minha preparação do sermão, e como lido com uma emergência”. Assim, observaram a minha vida durante dois meses, ficando em nossa casa. E esse é um estilo de discipulado que adoptei há mais de 30 anos… Queria que eles vissem como eu operava a minha vida. E eles podiam ver as fraquezas. Claro, é uma posição muito vulnerável, muito vulnerável, abrimo-nos a eles, eles podiam facilmente criticar”.

“Pensei que, ao fazê-lo, muito poucas pessoas iriam querer entrar no ministério por causa dos desafios difíceis e difíceis. Mas surpreendentemente, durante os meus 20 anos num ministério paroquial, plantei 50 igrejas, e treinei estes seis obreiros para dirigirem o ministério. Assim, quando me tornei bispo, eles assumiram e agora dirigem eles próprios as diferentes paróquias”.

O Bispo Moon Hing disse: “Este discipulado não é apenas acreditar na Grande Comissão, que Jesus diz: ‘Vai, e faz discípulos’, mas tem de ser traduzido para baixo, para o coração e para os braços e membros, para que trabalhemos nele”. Ele acredita que a pastoreio deve ser mais do que cuidar das ‘ovelhas’ e fazer discípulos. “Devemos dizer que a pastoreio envolve fazer discípulos e fazer disciplinadores; a pessoa que sabe não só como fazê-los discípulos, mas que os fará também discípulos”.

“Penso que fazer discípulos não é apenas alimentar as ovelhas. A minha ideia de fazer discípulos é que eles devem ser capazes de pescar sozinhos e ensinar os outros a pescar”.

Como pode a igreja ser mais eficaz no fabrico de discípulos?

O Bispo Moon Hing acredita que uma das chaves para ajudar o discipulado a florescer é adaptar a formação em colégios e seminários bíblicos para se concentrar na interpretação das escrituras e em como sair e fazer discípulos. Ele também disse que é importante não perder de vista o treino de pessoas nas paróquias.
“Estamos a tentar ministrar às pessoas nas nossas paróquias, cuidar delas, prover a elas, alimentá-las e esquecemo-nos de as treinar”. Foi-me dito pela minha mãe, se a mãe, ou os pais são bons cozinheiros, geralmente as crianças são más cozinheiras porque confiam sempre nos pais para cozinhar. Mas devem fornecer bons cozinheiros, para fazer bons cozinheiros, então as crianças devem vir e ir para a cozinha e seguir e aprender, cometer erros, e essa criança tornar-se-á mais tarde uma boa cozinheira. Na igreja creio que não estamos suficientemente treinados em delegação e ministério de equipa, por isso muitos dos padres estão a fazê-lo sozinhos. Eles são os ‘Lone Ranger’ e é muito duro”.

Para o Bispo Moon Hing, o cultivo de mangas pode ser uma imagem de como cultivamos discípulos.
Ele disse: “Neste país, na Malásia, temos muitas mangas e cultivamos muitas mangas. Faço frequentemente a pergunta, qual é o fruto de uma mangueira? E todos dizem, “mangas”, mas essa não é a resposta completa. Todos eles são consumidores de mangas e ninguém planta mangueiras. Portanto, a resposta deve ser o fruto de uma mangueira é outra mangueira, e não apenas um fruto a ser consumido. Se tem visão, vai mais longe, e pergunta qual é o fruto de uma mangueira? Na realidade, é uma plantação de mangueiras. Porque cada árvore irá produzir centenas e milhares de mangas, se as plantarmos. Isso é a mesma coisa na nossa vida cristã, se fizermos um discípulo e o treinarmos, sabemos que teremos um total de dois. Mas se formos mais fundo, não serão apenas dois, serão milhões e bilhões e trilhões de pessoas, porque cada uma é como a semente da manga. E se uma árvore pode produzir uma plantação, é o mesmo que discipulado. Essa pessoa multiplicar-se-á de facto em dois ou quatro, ou seis ou oito e continuará, antes de perceber que terá um exército inteiro a erguer-se para se tornar discípulo e para ser forte discípulo de Cristo”.


Tags

BC-Sept21-POR


You may also like

POR – December post 1

POR – December post 1

POR – December Scenesetting

POR – December Scenesetting
{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}

Subscribe to our updates now

Enter your details below and we'll keep you in touch with the conference as well as sharing resources and news about the event.