Junho 21

Missão e Evangelismo: Capacitar meninas adolescentes nas escolas do Reino Unido

A igreja anglicana em todo o mundo partilha um objectivo comum de proclamar as Boas Novas do Reino e de ensinar, baptizar e alimentar novos crentes, o que constitui parte das cinco marcas de missão da Comunhão. Há muitas formas de as igrejas estarem a alcançar as suas comunidades, quer através da proclamação e partilha das boas novas em palavras, mas também respondendo às necessidades ou injustiças e ajudando a trazer paz e reconciliação. Este ‘amor em acção’ é uma forma de mostrar o amor de Deus pelo mundo de uma forma prática. Na Diocese de Winchester, o seu objectivo é alcançar aquilo a que chamam as “gerações desaparecidas” que não estão na igreja. O Bispo de Basingstoke, o Revd David Williams, afirmou: “Como diocese, estamos empenhados em levar a mensagem cristã às pessoas que não têm qualquer contacto com a igreja. Estamos a apoiar projectos missionários inovadores através das nossas igrejas e nas nossas escolas e comunidades locais”.

“Uma paróquia da Igreja de Inglaterra na Diocese de Winchester tem vindo a concentrar-se em algumas das pressões que as adolescentes sofrem e a ajudá-las a crescer em confiança e a aumentar a sua auto-estima.

Ex-trabalhadora de jovens na Igreja de St Barnabas em Winchester, Ellie Payne, ajudou a criar um curso para meninas adolescentes, que está agora a funcionar em duas escolas secundárias na cidade e atingiu mais de 180 meninas nos últimos seis anos.

Ellie disse: “”O projecto, concebido pelo Golddigger Trust*, chama-se, ‘Sou a menina que quero ser’. É um curso para meninas que decorre durante oito semanas para meninas dos 11-18 anos e proporciona um espaço para as adolescentes falarem sobre temas como imagem corporal, auto-estima, relacionamentos e o que os meios de comunicação social dizem sobre moda. Levamos cerca de 12 meninas de cada vez, elas saem das suas aulas para passarem duas horas por semana connosco juntas no curso a falar sobre estes tópicos””.

De acordo com Ellie, as adolescentes no Reino Unido sentem-se frequentemente pressionadas a ter uma certa aparência, a estar num relacionamento e isto afecta o seu bem-estar mental e emocional.
Ela disse: “”As escolas dão realmente valor ao curso devido ao grande impacto que causa nas vidas das meninas. Ensina-as a deixarem de se comparar com as outras, a acreditarem em si próprias e a amarem-se e a respeitarem-se a si próprias e a lembrarem-se que são tão especiais como qualquer outra pessoa””.

Ellie disse que muitas das jovens têm problemas com amizades, o que pode minar a sua autoconfiança.

“”Durante o curso””, explicou Ellie, “”todas as meninas recebem um baralho de cartas de encorajamento, escrevem um baralho para cada membro do grupo e dizem coisas sobre a sua aparência e personalidade e no final do curso vão para casa com estes baralhos. A ideia é que estes baralhos podem tornar-se ferramentas, ultrapassando o curso, para que quando estiverem a ter um dia mau ou uma crise de confiança possam voltar aos baralhos e serem recordadas das coisas positivas que as suas amigas disseram a seu respeito””.

O curso também encoraja as jovens a explorarem e a fazerem escolhas positivas sobre o seu estilo. Ellie disse: “”Elas aprendem a não se rebaixarem quando não estão num relacionamento, mas também a optar por não se contentarem no segundo lugar””.

Durante a pandemia, os cursos tiveram de ser ministrados principalmente online, com apenas algumas sessões privadas de tutoria, realizadas presencialmente nas escolas.

Ellie disse que os cursos estavam agora a decorrer nas escolas. “”Sinto como se estivéssemos só agora a ver o impacto do confinamento e o quão ansiosos os jovens se tornaram. Também sentiram falta de socialização, por isso acham alguns elementos do curso mais desafiantes””.

Algumas meninas que participaram no curso puderam revelar experiências do seu passado, para as quais podem receber apoio ou ser encaminhadas para os profissionais adequados. Algumas das meninas também descobriram que o curso aumentou a sua auto-confiança e mudou a sua visão sobre a escola e as relações.

“”Somos muito sensíveis à forma como falamos sobre fé, mas o curso está cheio de princípios cristãos e há oportunidades para os líderes partilharem as suas histórias e experiências de como um relacionamento com Deus ajudou alguns de nós””, disse Ellie.

Ela disse que o curso pode ser um primeiro passo para as adolescentes na exploração da sua própria espiritualidade e alguns decidem levá-lo mais longe, participando de um grupo ou evento de jovens da igreja, com amigos do curso.


Tags


You may also like

Discipulado: A reparação de bicicletas ensinou a um bispo as suas maiores lições sobre ‘fazer discípulos’

Discipulado: A reparação de bicicletas ensinou a um bispo as suas maiores lições sobre ‘fazer discípulos’
{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}

Subscribe to our updates now

Enter your details below and we'll keep you in touch with the conference as well as sharing resources and news about the event.