Neste dia de paz, paramos um momento para recordar algumas das resoluções de paz feitas em 1920 e o influente ‘Apelo a Todo o Povo Cristão’.

  • Setembro 20, 2019

O dia 21 de setembro é o Dia Internacional da Paz – um dia que é observado em todo o mundo. Criado em 1981 por uma resolução unânime das Nações Unidas, o Dia da Paz fornece uma data globalmente compartilhada para que toda a humanidade se comprometa com a paz acima de todas as diferenças e contribua para a construção de uma cultura de paz.

A Lambeth Conference do próximo ano marcará os cem anos desde a influente Lambeth Conference de 1920. Realizada em meio às consequências da Primeira Guerra Mundial, a conferência de 1920 tornou-se conhecida como um momento decisivo e significativo ao pedir paz e unidade da igreja. Foi uma reunião que delineou uma série de resoluções sobre o Cristianismo e as relações internacionais, e que também emitiu ‘Um apelo a todo o povo Cristão’.

Declarações notáveis das resoluções de 1920 incluíram o endosso da “base essencialmente Cristã da Liga das Nações”, e a declaração de que a igreja deveria “conclamar os povos do mundo a aderir aos princípios da Liga das Nações” (Resolução 3). Houve uma afirmação da importância da ‘admissão da Alemanha à Liga das Nações’ (Resolução 4) e um apelo a ‘todos os apoiadores da Liga das Nações para que enfrentem a injustiça contra povos indígenas ou nativos’ (Resolução 6).

As resoluções de 1920 refletiam o senso de que as igrejas deveriam encontrar maneiras de agir em conjunto para impedir futuras hostilidades, tanto na igreja quanto no mundo. As resoluções completas da Lambeth Conference 1920 podem ser lidas aqui (em inglês).

The consultative body of the 1920 Lambeth Conference

Ao longo de sua história, a Lambeth Conference sempre teve um papel influente no apelo à reconciliação e à unidade da igreja. Isso foi motivado em parte pelo fato de a Comunhão Anglicana não ficar isenta de debates e diferenças. A primeira Lambeth Conference, em 1867, foi convocada após uma disputa de líderes religiosos na África do Sul, o que levou os bispos canadenses a pedirem ao Arcebispo de Canterbury – Charles Longley – que convocasse uma reunião de líderes seniores.

O resultado foi uma carta pastoral assinada no final da primeira Lambeth Conference declarando a necessidade de unidade e cooperação. A carta iniciava com o seguinte: “Nós, bispos da Santa Igreja Católica de Cristo…” desejamos declarar ‘Nosso sincero desejo de que as orações de nosso Salvador para “Que todos sejamos um” possam, no seu sentido mais profundo e verdadeiro, ser rapidamente realizadas.’ Como resultado, na conferência de 1888, os bispos aprovaram o ‘Quadrilátero Chicago-Lambeth’, que continua sendo uma declaração Anglicana definitiva da base quádrupla essencial para uma Igreja unida.

O compromisso de trabalhar pela paz e reconciliação no mundo é uma prioridade constante na Comunhão Anglicana. Hoje, a Rede Anglicana de Paz e Justiça (APJN) compartilha questões de justiça e paz de contextos locais e traz histórias de esperança para a Comunhão em geral. Através dessa rede e do compartilhamento de informações, a APJN apoia os Anglicanos na resposta às Cinco Marcas da Missão, com um foco particular na Quarta Marca: ‘Procurar a transformação das estruturas injusta da sociedade, desafiar toda espécie de violência, e buscar a paz e a reconciliação’.

Enquanto os preparativos continuam para a Lambeth Conference 2020, o tema ‘A Igreja de Deus para o mundo de Deus – caminhando, ouvindo e testemunhando juntos’ será importante. Os/as bispos/as e cônjuges que participam da Lambeth Conference representam uma diversidade de culturas, tradição Cristã e perspectivas teológicas. Existem muitos assuntos importantes e preocupações comuns sobre os quais dialogar. A conferência de 2020 traz uma oportunidade única para a Comunhão Anglicana de explorar e celebrar seu chamado para ser um movimento global da igreja e da missão.